Batman vs Superman: A Origem da Justiça

Hey amigos, tudo bom?

Domingo (27/03) foi meu aniversário (feliz 22 anos para mim🎈🎈🎈) e eu achei que seria o dia perfeito para ir ver o filme, seria meu presente de aniversário de mim para mim. Mas quero começar dizendo que estou muito contente em finalmente escrever esse post, e também quero informar que esse não é um post imparcial (não que algum post aqui seja imparcial, afinal sou só uma garota escrevendo sobre coisas que gosto), sou fã da Liga da Justiça desde criança e sonho em ver esse universo se formando nos cinemas a muitos anos. Bom, dito isso, vamos começar a falar sobre o maravilhoso Batman vs Superman: A Origem da Justiça.

Batman v Superman

O confronto entre Superman (Henry Cavill) e Zod (Michael Shannon) em Metrópolis fez com que a população mundial se dividisse acerca da existência de extra-terrestres na Terra. Enquanto muitos consideram o Superman como um novo deus, há aqueles que consideram extremamente perigoso que haja um ser tão poderoso sem qualquer tipo de controle. Bruce Wayne (Ben Affleck) é um dos que acreditam nesta segunda hipótese. Sob o manto de um Batman violento e obcecado, ele investiga o laboratório de Lex Luthor (Jesse Eisenberg), que descobriu uma pedra verde que consegue eliminar e enfraquecer os filhos de Krypton.

Depois de tanto tempo esperando esse filme eu nem sei por onde começar a comentar ele. Batman Vs Superman tem um tom diferente dos filmes de heróis que estamos vendo a anos, é claro que ele herdou um puco da parte sombria da trilogia Batman do Nolan, mas aqui vemos os heróis como Deuses, incalcináveis Deuses.

O Superman, é completamente intocável, é a personificação de um Deus, ele está sempre inalcançável, acima dos humanos, até como Clark ele mantem essa áurea intocável, os momentos onde ele é mais humano dele estão sempre relacionados a Lois ou a sua mãe. O Batman de Affleck é impecável, está mais amargurado, mais experiente, e faz crossfit, é uma representação tão boa quanto a do Bale, mas diferente. O conflito entre o Batman e o Superman tem estrutura simples, mas foi extremamente bem executado, os motivos são criveis, especialmente da parte do Batman. As lutas são empolgantes e bem coreografadas, eu fiquei sem piscar pra não perder nenhum movimento.

O Luthor é a mente maligna por trás do filme, é o único personagem com um tom diferente, ele é um gênio louco que não cala a boca, não é explicado porque ele faz o que faz, o que eu gostei, na verdade muita coisa não é necessariamente explicada, uma parte não precisava e outra parte são ganchos para os próximos filmes do universo DC (isso ao meu ver). Por falar nos próximos filmes da DC, temos a Mulher Maravilha, boa parte desses ganchos acontecem pela presença dela no filme, Gal Gadot como a Diana está maravilhosa, mal posso esperar pelo filme solo dela no ano que vem.

Batman Superman Wonder Woman.jpg

Como público alvo não consigo ver grandes problemas com o filme, mas vejo problemas em como o marketing dele, muito do que foi mostrado nos trailers poderia ter sido surpresa, como a cena da imagem a cima. Não vou falar das reações ruins ao filme porque no feed das minhas redes sociais não teve nada muito drástico, não vi ninguém que odiou o filme, e não fui procurar, mas ao sair da sessão vi algumas pessoas fazendo uma certa pergunta obvia sobre Lois, que eu senti vontade de parar essas pessoas e explicar, poruqe era algo realmente obvio, mas minha timidez me impediu de fazer isso (e não estou falando da parte do Flash).

Ver o Batman, o Superman e a Mulher Maravilha juntos no cinema foi realmente especial para mim, como eu disse no começo do post, eu adoro a Liga da Justiça desde a infância e ver ela se formando no cinema é incrível.

Esse foi um dos posts mais difíceis que já escrevi, tentei não revelar nada que já não tenha sido revelado nos trailers e ainda assim expressar que gostei do filme, gostei muito. Eu claramente recomendo o filme, mas a minha dica é pra não ficar comparando com outros filmes de heróis, nem com a trilogia do Nolan, porque é diferente.

Você já assistiu Batman vs Superman? Já era fã dos heróis da Liga da Justiça? me conta nos comentários, preciso conversar com alguém sobre filme (pode ser nas minhas redes sociais também, links na lateral do blog).

Beijos e até a próxima.

As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne

Hey amigos, tudo bom?

Quando era criança um dos desenhos que eu mais gostava de assistir era As Aventuras de Tintim, eu sempre achei ele diferente dos outros, mais empolgante. Alguns dias atras eu reassisti o filme As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne, e é claro que eu não deixaria de indicar aqui.

THE ADVENTURES OF TINTIN.jpg

Tintim (Jamie Bell) é um jovem repórter, que está sempre atrás de boa matéria. Um dia, ele vê à venda na rua o modelo de um galeão antigo e resolve comprá-lo. Logo dois outros interessados o abordam, querendo adquirir o objeto, mas Tintim não o vende. Ele leva o galeão à sua casa, onde o coloca em destaque. Só que a entrada de um gato faz com que Milu, seu cachorro, o persiga dentro de casa e, por acidente, derrube o galeão. Ele fica danificado e um pequeno cilindro sai de seu interior, sem que Tintim perceba. Logo Tintim e Milu vão à biblioteca, onde tentam encontrar mais informações sobre o navio retratado no modelo. Ao retornar percebem que o galeão foi roubado. Tintim vai até a mansão recentemente comprada pelo doutor Sakharine (Daniel Craig), um dos interessados em comprar o modelo, mas nada descobre. Ao retornar ele encontra o cilindro e percebe que, dentro dele, há uma pista para um tesouro perdido. É o início de uma nova aventura, onde Tintim e Milu se juntam ao Capitão Haddock (Andy Serkis) na disputa contra Sakharine para encontrar o tesouro.

Como eu disse na abertura do post, eu acompanho as aventuras de Tintim desde a infância, e eu lembro bem da minha empolgação em 2011/2012 por causa desse filme, eu assisti na época de lançamento e amei. Esses dias enquanto andava por uma Americanas, vi o DVD do filme e uma daquelas gondolas cheias de filmes, é claro que comprei.

Como as aventuras de Tintim nos quadrinhos e nos desenhos esse é um filme de aventura. Para tentar entender a encrenca em que se meteu, Tintim vive um a grande aventura (desculpa por soar redundante), o filme é muito empolgante, e não te deixa parar para respirar em nenhum  momento, pelo trailer dá pra ver um pouco de algumas das cenas de ação que são incríveis. Esse é um dos melhores filmes que eu já vi que utiliza o método de captura de movimentos (quando os atores atuam com sensores no corpo e seus movimentos viram animação), com isso a história se torna mais realista.

Na minha infância eu tinha a tendencia a gostar de histórias com animais inteligentes, e o Milu sempre foi o meu favorito, ele é esperto e fofo, sempre fica do lado do Tintim, eu adoro esse cachorro.

Esse filme me lembra um pouco as aventuras do Indiana Jones, o que não é coincidência, afinal o diretor, produtor e maior responsável por levar essa história dos quadrinhos para o cinema é o Steven Spielberg.

THE ADVENTURES OF TINTIN (2).jpg

O DVD tem uns extras bem legais, mas eu só recomendo pra quem já gosta das aventuras do Tintim.

Sites confiáveis que vendem o filme:

As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne é divertido, extremamente empolgante e muito nostálgico, com certeza vale a pena se você cresceu vendo desenhos na TV Cultura.

Então, você assistia os desenhos do Tintin quando era criança? Já viu ou quer ver ver esse filme?

Beijos e até a próxima.

Not Another Happy Ending

Hey amigos, tudo bom?

Sabe quando você acorda com vontade de rever um filme especifico, bom, esses dias eu acordei pensando no filme Not Another Happy Ending, depois que eu re-assisti me lembrei o quanto eu gosto dele, achei que valia post, e aqui está.

not another happy ending

Not Another Happy Ending traz a história de uma escritora, Jane Lockhart (Karen Gillan), que se encontra com um bloqueio de criatividade depois do sucesso do seu primeiro romance. Tom Duval (Stanley Weber), o seu editor, pensa que o bloqueio se deve ao facto de Jane estar muito feliz e começa a irritar e destruir a vida da moça para conseguir o mais rápido possível o seu segundo livro, mas durante esse processo acaba se apaixonando por ela.

O filme conta a história de Jane Lockhart, uma jovem escritora que após receber vários nãos vê sua vida se transformar depois que Tom enxerga seu potencial e decide publicar seu livro. Depois do sucesso do primeiro livro, Jane está prestes a acabar o segundo, mas começa a passar por um super bloqueio que a impede de escrever (te entendo Jane). Tom deduz que como ela escreveu o primeiro livro quando estava triste, um jeito de ajudá-la terminar esse seria deixando ela triste novamente, enquanto isso ela é “assombrada” por sua personagem que deseja um final.

O filme é de 2013 e confesso que só o conheci por causa da Karen Gillan, e depois de ver o trailer senti que precisava assistir. O filme é uma graça, se passa na Escócia, por isso conta com paisagens lindas, tanto no campo quando na cidade. Estou feliz por ter assistido Not Another Happy Ending, me relacionei em vários momentos com a Jane, acho que tenho certas coisas em comum com ela, como a melancolia, o desejo de ser escritora, o jeito que lidamos com a rejeição, fiquei apaixonada pelo apartamento dela, fora isso, acho que desenvolvi um pequeno (talvez não tão pequeno) crush pelo Tom, agora vou atras de mais filmes do Stanley Weber.

A trilha sonora do filme está disponível no Spotify e é uma graça, perfeita para os momentos de tranquilidade.

Você já assistiu Not Another Happy Ending? Ficou com vontade de ver?

Beijos e até a próxima.